Geral

Moisés: Espetadinha na herança

Ao retornar ao cargo depois do ‘gancho’ de 30 dias – 34 para ser exato – governador Moisés nem pareceu aquele eleito de 2018. Calçando os coturnos da humildade disse que os próximos dois anos serão pautados pelo diálogo. Mas não deixou de lembrar que precisou arrumar a casa que encontrou do antecessor:

“Nós projetamos os próximos dois anos tendo muita confiança na Justiça. Arrumamos a casa nestes dois primeiros anos (2019 e 2020) e agora chegou o momento de planejar o futuro. Quem não planeja não sabe para onde vai”.

A herança mais reclamada é da área da saúde onde a dívida era gigante naqueles passos iniciais do ano passado

E para mostrar que a mudança é às veras, o primeiro dia útil pós-gancho, o governador Moisés visitou o procurador-geral de Justiça, Fernando Comin, e o presidente do TCE/SC, Adircélio de Moraes Ferreira Júnior. Na pauta aquele discurso ensaiado durante o afastamento:

“O diálogo é o que a sociedade espera dos homens públicos. Esse é o caminho: da troca de ideias para a construção de uma Santa Catarina ainda melhor, com uma gestão pública eficiente e que faça entregas”.

O ÔDE DO PSL

AO COMANDANTE

Depois de se encontrar com o governador ainda na sexta-feira, 27, presidente estadual do PSL, deputado Fábio Schiochet foi só reverência ao fênix da sigla que estava voltando das cinzas

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *