Geral

Movimento lamenta ‘texto terrorista’

MENSAGEM FALA EM INVASÃO A HOSPITAL DE LAGES. MAS O AUTOR UTILIZA IDENTIDADE ANÔNIMA E NÃO REPRESENTA MOVIMENTO PRÓ-BOLSONARO

Colega Milton Barão acabou dando voz a um internauta que se identificou como João Paulo Oliveira. O conteúdo saiu da esfera de opinião e adentrou ao incitamento de prática de crime, ao comentar o ato de apoio ao Presidente Bolsonaro neste domingo, 28, em Lages.

INVASÃO AO HOSPITAL

Na mensagem o internauta sugere que a carreata termine no Hospital Nossa Senhora dos Prazeres ‘e que o pessoal invada o hospital para verificar se os leitos estão realmente ocupados. (…) E também que façamos uma auditoria nos enterros e caixões”.

TOMAR REMÉDIO

A mensagem, dando impressão de deboche aponta que, no início dos atos ‘num protesto simbólico, na frente do quartel, vamos tomar os remédios de tratamento precoce (Ivermectina, Azitromicina, Cloroquina’.

TENTATIVA DE DESACREDITAR O MOVIMENTO

Como fomos a primeira página a destacar o ato de domingo (como informação, conforme citado), fizemos contato com Francisco Ramos, um dos articuladores da criação do Partido Aliança Pelo Brasil em Lages, defensor do Presidente Bolsonaro e da mobilização programada. Segundo ele, o internauta que se identificou como João Paulo Oliveira não faz parte de qualquer grupo de mobilização e apoio ao Presidente Bolsonaro em Lages. Francisco Ramos atribui o teor da mensagem a uma tentativa de desacreditar o grupo de apoio e a mobilização. “É pessoal de esquerda tentando denegrir a imagem do movimento”, citou Ramos.

DIÁLOGO COM A PM

Francisco Ramos manteve contato com o Capitão Borges, do 6º BPM, a respeito desse episódio. “Deixamos claro que não procede. Inclusive essa postura (do comentário) é uma demonstração de que estamos incomodando o lado vermelho da coisa. E de maneira alguma teríamos uma atitude dessa forma. Nós repudiamos qualquer ato nesse sentido. Nosso movimento é pacífico com o intuito de incentivar nosso Presidente Bolsonaro a tomar as rédeas do poder”, explica. Ele aponta que o convite tem o objetivo apenas de exteriorizar o acontecimento. “O texto é todo terrorismo. Invasão, tomar remédio na frente do batalhão. Lamento o grau doentio de uma declaração dessas”, esclareceu Francisco Ramos.

Autor da mensagem terrorista tentou desacreditar esse movimento programado para a manhã do domingo em Lages, a exemplo do que está previsto para acontecer em várias cidades brasileiras neste 28 de março

Compartilhe

2 comentários para: “Movimento lamenta ‘texto terrorista’”

  1. Mais uma informação impecável, agradeco em nome de todos os qie se envolveram nessa manigestacao pro Bolsonaro. Parabéns Varela.

  2. De um movimento com ares de radicalismo, temo há sim elementos radicais. Talvez esse tenha sido infeliz em falar publicamente, mas outros o fazem na miúda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *