Geral

MP/SC quer reverter solturas no STJ

RECURSO ESPECIAL SUBIRÁ NA TENTATIVA DE FAZER PREFEITO E EX-SECRETÁRIOS DE LAGES RETORNAREM À PRISÃO

Primeiro foi em relação ao ex-secretário Antonio Arruda que o Ministério Público de Santa Catarina se posicionou discordando da decisão da desembargadora Cinthia Beatriz da Silva Bittencourt Schaefer que relaxou sua prisão. O MP/SC não visualiza razões para que a relatora do processo da Operação Mensageiro mantenha Arruda submetido a medidas diversas da prisão. O recurso em relação ao ex-secretário foi direcionado – conforme a ritualística processual ao vice-presidente do TJ/SC e deve bater no STJ.

OUTRO RECURSO

Basicamente na mesma linha de argumentos utilizados para pedir a revogação da soltura de Arruda, o Ministério Público de Santa Catarina também pediu a reversão em relação ao decidido sobre o prefeito Ceron e o ex-secretário Delfes. O pedido é para que o ex-secretário de Meio Ambiente retorne à prisão (no quartel da PM) e o prefeito seja submetido, novamente, à prisão domiciliar. A solicitação segue a ritualística com decisão recursal a ser proferida no âmbito do STJ.

Vão parar aqui em Brasília os pedidos do Ministério Público de Santa Catarina que tenta reverter decisões de soltura em relação a lageanos no âmbito da operação mensageiro

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *