Geral

Não faltam de leitos de UTI na Serra

NÃO HÁ SOBRA PARA MAIOR TRANQUILIDADE, MAS NÃO FALTAM LEITOS

Quando uma região catarinense passa a ser tratada de potencial gravíssimo, como tem ocorrido com a Serra Catarinense deste a primeira quinzena de agosto, essa caracterização decorre de um conjunto de fatores. Tanto que o próprio Governo do Estado, no portal exemplificativo sobre o assunto, aponta as prioridades para se vencer essa condição de risco gravíssimo. O gráfico abaixo é a evidência disso:

Significa que ampliação de leitos é apenas uma das necessidades do quadripé

ASSIM

Prefeito Ceron declarou que a Serra Catarinense está no vermelho por falta de leitos. Mas esses, embora opere-se sempre no limite, nunca faltaram. Tanto que no boletim do sábado, 22, há 90% de ocupação. A angústia reside no risco da situação piorar e, daí sim, vir a faltar.

Dados do sábado apontam essa realidade de ocupação de UTI em Lages

QUAL PROBLEMA 

MAIOR DA SERRA?

Se considerarmos o quadripé de prioridades em caso de conceito potencialmente gravíssimo, o isolamento social em Lages e na Serra é baixo, assim como a sequência de investigação, testagem e isolamento de casos não têm o padrão necessário. Nem está se falando em tratamento precoce, que passou a ser bandeira dos achivistas que tem inclusive nossa simpatia, mas não há certeza sobre isso.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *