Geral

Nomes focam a eleição de 2024

SE A DISPUTA MAJORITÁRIA SEGUE COM DESERTO DE NOMES EM LAGES, À CÂMARA DE VEREADORES TEM GENTE ATENTA

Se você espiar o calendário eleitoral verá que estamos a um ano e 15 dias da abertura do prazo de convenções municipais e faltam exatamente 13 meses (prazo é 5 de agosto), para homologar candidatos a prefeito, vice e vereadores. Se no âmbito majoritária o cenário é confuso e indefinido em Lages, nos bastidores há nomes se preparando para enfrentar as urnas em busca de uma das 16 vagas na Câmara de Vereadores.

NOMES À MAJORITÁRIA

O principal nome para a disputa em Lages segue sendo o de Carmen Zanotto (Cidadania) com tendência muito forte de ela vir concorrer. A única pesquisa que vimos para o pleito do ano que vem até agora ela aparece com mais de 3 vezes o índice do segundo colocado, Marcius Machado. Nos lados do Paço, em um desgaste político que deixa o grupo bem fragilizado o nome natural é de Juliano Polese. Mas ele não fala sobre o assunto por circunstâncias diversas.

É melhor já ir se acostumando porque é pouco provável, pelas informações mais recentes, que Carmen Zanotto não seja escalada para concorrer à Prefeitura de Lages

DO OUTRO LADO

O principal nome da oposição seria do vereador Jair Júnior, mas seu partido, o Podemos, acena também com Bruno Harmann a prefeito. Há quem fale numa ideia de compor com Carmen Zanotto ou embaralhar o jogo e afastar a artilharia de críticas ao ‘nome natural’ que é do vereador Jair. Correndo por fora tem Elizeu Matos, que precisa vencer uma burocracia jurídica e, principalmente, a desconfiança de alguns setores do eleitorado. Mas o histórico do MDB e o estilão quando prefeito, dão fortidão a Elizeu. E fora esses, não há no cenário um nome novo, diferente. Mas em 13 meses não é fora de questão o surgimento de alguém.

SOBRE A CÂMARA

Dentro da equipe de Polese há nomes que a sigla do prefeito em exercício trata com carinho. Até pelo que representou dentro do PP o saudoso Renatinho, o filho do ex-prefeito Renatinho Júnior, Superintendente da FME deverá concorrer à Câmara. O PP buscará a estratégia de lançar 24 nomes fortes ao legislativo para beliscar 3 ou 4 vagas. Renatinho só precisa estar atento que FME e Jocol não dão votos. O ex-superintendente Marcelo Kowalski descobriu isso em 2016.

Para evidenciar certa desenvoltura, Renatinho Júnior (de gravata acima) aproveitou a semana para uma agenda administrativa ao nível do mar. Esteve em gabinetes dos deputados Lucas Neves, Pepe Colaço e Altair Silva (esses dois últimos do mesmo PP do superintendente da FME). Na pauta a busca de recursos para o esporte lageano. Embora tenha apenas mais 9 meses na função (porque deixa o cargo em abril para concorrer), Renatinho procura mostrar serviço para ver e ser visto.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *