Geral

Sobre nepotismo em Lages e Anita

EM ANITA O PREFEITO FOI CONDENADO POR NOMEAR FILHOS. EM LAGES A QUESTÃO ENVOLVE A SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Absolutamente passível de recurso em instâncias superiores, mas o prefeito João Cidinei da Silva (PL) recebeu sentença desfavorável em âmbito de Comarca de Anita Garibaldi. A razão foi uma ACP – Ação Civil Pública patrocinada pelo Ministério Público por nepotismo. A peça assinada pela Promotora de Justiça Gabriela Arenhardt recebeu decisão pela condenação devido à nomeação feita pelo prefeito da filha e depois do filho para a mesma função na prefeitura de Anita: Chefia de Gabinete.

ENTENDA O CASO

Quando assumiu para o segundo mandato, o prefeito João Cidinei nomeou a filha como Chefe de Gabinete. Em setembro de 2021 quando soube de um inquérito civil aberto para investigar a suposta irregularidade, o prefeito exonerou a filha. Mas três dias depois nomeou o filho para a mesma função. Na denúncia, o relato é de que ambos os filhos não têm a qualificação técnica para a função. E daí a caracterização do nepotismo.

Anita Garibaldi, ali atrás daquele morro, nas lentes da MSM Imagens Aéreas está no noticiário por causa de nepotismo na prefeitura. O prefeito João Cidinei irá recorrer da decisão em primeiro grau. Ele acredita que não cometeu crime (de nepotismo) e se o fez, não foi com dolo (vontade consciente que no caso poderia ser chamada também de teimosia).

O CASO DE NEPOTISMO EM LAGES

Saiu da seara dos burburinhos, comentários, rumores e ocupa documento oficial da Promotoria de Justiça da Comarca de Lages (Moralidade Administrativa) uma denúncia de nepotismo. Envolve um dos secretários municipais, Álvaro Mondadori, que também é vereador e uma subordinada dele na Secretaria de Desenvolvimento Econômico. O conteúdo da Promotoria de Justiça aponta indícios de nepotismo entre Álvaro e a subordinada que teriam, no relatado do expediente do MP/SC, relação de convivência. O Inquérito Civil irá tramitar para, ao final, a Promotoria decidir pela representação judicial ou não. O prefeito Ceron, que nomeou a servidora e o secretário, também está incluído no Inquérito.

Por envolver pessoas públicas, o episódio sai da esfera da questão pessoal, tomando a proporção de uma investigação pela Promotoria de Justiça.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *