Geral

Os 18 que queriam auxílio na Câmara

ASSUNTO REPERCUTE PELO ABSURDO EM SI

Jornalista Olivete Salmória puxou o assunto em sua página gerando repercussão de todo gênero sobre o fato de servidores da Câmara de Vereadores de Lages terem se cadastrado em busca do auxílio emergencial do Governo Federal. Foram 18 servidores comissionados, sabedores que, por causa do vínculo empregatício, não faziam jus aos R$ 600,00 mensais em três parcelas, mas que acessaram o sistema, cadastrando-se.

SOBRE ISSO

Informações indicam que dos 18 interessados em embolsar mais R$ 600,00 mensais além do que recebem na Câmara, apenas um teria obtido sucesso e acessado uma parcela. Aos demais houve negativa ou o pedido se encontra em análise. No regramento de acesso ao benefício está bem claro que o mesmo se destina àqueles sem vínculo empregatício, independente do emprego ocupado. Daí que gerou polêmica, não sem razão, a notícia.

NOTA DA CÂMARA

Assessoria da Câmara informa que tão logo teve acesso à lista dos pedintes de benefício emergencial, o presidente da Câmara, Vone Scheuermann promoveu uma reunião com os envolvidos na tarde da terça-feira, 14. “Ele expressou sua contrariedade com o ocorrido e informou a abertura de um procedimento administrativo, com a constituição de uma comissão para apuração dos fatos (…) que podem acarretar em sanções como suspensão, multa ou até mesmo a exoneração, dependendo do caso”, diz a nota da Câmara.

A nota ainda informa que nenhum vereador se cadastrou para pedir auxílio emergencial. Recebendo R$ 9.200,00 mensais ainda bem que nenhum dos 16 integrantes do legislativo se interessou pelo auxílio. Ufa!

EM TEMPO

Em nome do benefício da dúvida, há casos de pessoas que não acessaram o sistema colocando seus dados para acessar o benefício do auxílio emergencial. Terceiros teriam feito isso em muitos casos. Naturalmente pode ser um ou outro caso na Câmara de Lages. Mas os 18 pedintes de auxílio terem os dados usados erroneamente (porque não havia direito ao benefício), é pouco provável. O devido processo legal a ser instaurado no legislativo cuidará das providências. Se for o caso, é claro!

Compartilhe

2 comentários para: “Os 18 que queriam auxílio na Câmara”

  1. Porque as pessoas não pensam antes de fazer !!!!
    cade o nome desses inresponsáveis, deixem pra quem esta desempregado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *