Geral

PM/SC: Mais um ano sem reposição salarial

Na bacia das almas da atuação parlamentar os deputados catarinenses conseguiram desagradar e muito uma categoria que já vinha sofrendo no governo anterior e seguirá penando no atual. Trata-se da reposição salarial aos policiais militares e bombeiros. Eles estão desde 2013 sem receber aumento e continuarão assim em 2020. Por 23 votos a 13 uma emenda do deputado Sargento Lima (PSL) que pretendia remanejar R$ 100 milhões do orlamento para atender a categoria foi derrubada.

ENTENDA

Proposta de Lima se originou numa renegociação da dívida equivalente a R$ 1,3 bilhão do Estado. Da operação bancária pretendida pelo governo irão sobrar R$ 400 milhões, e a emenda do deputado previa que parte desta sobra fosse investida na recomposição salarial. A defasagem de seis anos chega a quase 40%, e os R$ 100 milhões propostos significariam 4,7%.

PELO NÃO

Líder do governo, Maurício Eskudlark alegou que se tratava de uma matéria inconstitucional e que não seria razoável reajustar o salário de uma categoria e deixar as demais sem o aumento. Lima enfatizou que os defensores públicos receberam um aumento salarial de 114%, e este percentual não chegou às demais categorias. Para Sargento Lima, a atitude do líder do governo é uma retaliação à postura dele.

Esse registro no parlamento catarinense, quando da fala do deputado Lima sobre o assunto, evidencia o desinteresse de parte dos deputados sobre o tema com o celular dividindo as atenções. Ao microfone, Sargento Lima tentava garantir recursos para a reposição à PM e Bombeiros. Mas foi vencido por 23 a 13

Foto: Paulo Brinhosa e informação: Tarcísio Poglia

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *