Geral

Por quem os sinos dobraram em Lages

GESTO REVERENCIOU A MEMÓRIA DAQUELES QUE PERDERAM A VIDA NA PANDEMIA. SILÊNCIO, PRECE E CONSTERNAÇÃO NO FINAL DA MANHÃ EM LAGES

Somávamos 498 vidas perdidas no começo de julho do ano passado quando foi instituída, a partir de um projeto de autoria da vereadora Katsumi Yamagushi a lei que instituiu o Dia Municipal em Memória às Vítimas Locais da Covid-19. O oito de julho passou a ser a data em que recordamos a vivência com aqueles que, infelizmente, foram vitimados pela doença. No intervalo de um ano, outras 93 pessoas morreram em Lages devido à doença.

MOMENTO ESPECIAL

Para marcar o 8 de julho, foi promovida pela Secretaria de Saúde de Lages um ato simbólico pelo coletivo que atuou na batalha contra a doença, os profissionais de saúde. Nas estruturas públicas da área no município se promoveu um minuto de silêncio. Houve ainda prece e os sinos da Catedral ecoaram por um minuto, emocionando quem ouvia o gesto. Quem é de Lages sabe o que é a sirene da Rádio Clube ecoando às 8h – 12h – 14h e 18h. Nesta sexta-feira o mecanismo tão tradicional da cidade, foi disparado às 11h30min. Quem não acompanhou o noticiário da homenagem até estranhou sino e sirene tocando de forma sincronizados.

Até o Secretário de Estado da Saúde, cumprindo outras agendas em Lages, integrou-se ao ato. Aldo Baptista Neto aparece no registro ao lado do secretário de Saúde de Lages, Claiton Camargo de Souza e de demais participantes do gesto de homenagem em reverência às 591 vítimas da Covid-19 em Lages.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *