Geral

Possível imprudência mata jovem na Camões

SOMENTE PERÍCIA TÉCNICA INDICARÁ REAIS CIRCUNSTÂNCIAS, MAS UM VEÍCULO A 50 KM/H NÃO PROTAGONIZARIA CHOQUE TÃO VIOLENTO

Não é papel de nenhum meio de comunicação antecipar causas e circunstâncias de acidentes, principalmente aqueles que resultam em tragédia, como o protagonizado pelo condutor de um veículo Renault Megane, na madrugada de domingo na Avenida Camões (em cima do viaduto da BR-282).

ENTRETANTO

Pelas circunstâncias, não é temerário informar que o condutor estava a mais de 50 km/h que é o limite de velocidade na Avenida Camões. É provável, mas caberá à perícia técnica o levantamento que, para aproveitar o semáforo aberto no entroncamento da referida avenida com a rua Getúlio Vargas, o condutor não tenha reduzido a velocidade. E na frente do posto (Rex), na indecisão entre seguir pela avenida ou pegar a marginal da BR-282, não fez uma coisa e nem outra.

DESFECHO TRÁGICO

O acidente, infelizmente, causou a morte no local da jovem Brenda Moreira de Brito, com apenas 20 anos. Ela não resistiu aos ferimentos graves causados pela colisão do veículo contra a proteção lateral da avenida em relação ao viaduto. E se o veículo não tivesse parado no guard rail de concreto, por certo teria despencado do viaduto, numa altura de 15 metros, com o número de mortos podendo ter sido maior. Eram quatro os ocupantes do veículo.

Naturalmente que o condutor pode alegar mal súbito ou qualquer outra circunstância que tenha o levado a perder o controle da direção e se chocar de forma tão violenta. Mas na velocidade compatível com a avenida Camões uma colisão assim até aconteceria, mas não com desdobramento tal qual

A proteção onde houve a colisão está devidamente sinalizada e serve para proteger a passagem de pedestre sobre o viaduto, separando as pessoas dos veículos na referida travessia

Registre-se por derradeiro que um mal súbito ainda poderia ser fator causador da lamentável tragédia. Daí como escrevemos, não há de se antecipar julgamento, mas deixar para a perícia técnica o levantamento.

A PROPÓSITO

Salvo melhor juízo, a competência para o atendimento dessa ocorrência é da PRF e não da PM.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *