Geral

Presos trabalham na limpeza em Lages

ATIVIDADES FORAM RETOMADAS DEPOIS DA SUSPENSÃO DEVIDO À PANDEMIA. SÃO 30 REEDUCANDOS QUE ESTÃO NAS RUAS AJUDANDO A MANTER A CIDADE LIMPA

Na referência politicamente correta, eles são reeducandos. Trata-se de 30 integrantes da população carcerária de Lages, recolhidos no Presídio do bairro São Cristóvão que voltam às ruas de Lages para trabalhar. Eles fazem parte de um Termo de Parceria Laboral que se estabeleceu entre a Prefeitura e a Secretaria de Estado de Administração Prisional e Socioeducativa. Esse convênio é de 2019, mas que no ano passado precisou ser suspenso por causa da pandemia.

NO TRECHO

O convênio prevê o trabalho em frentes de serviço (nas Secretarias de Serviços Públicos e Meio Ambiente e Planejamento e Obras) dos reeducandos com aptidão para este tipo de atividade laboral. “Um trabalho sério e humano, sem exclusões”, conceitua o prefeito Ceron.

Os 30 reeducandos são selecionados por apresentarem bom comportamento e disciplina durante o cumprimento de suas penas.

REDUÇÃO DA PENA E SALÁRIO MÍNIMO

Cada reeducando irá atuar com uma jornada de trabalho de oito horas por dia, de segunda a sexta-feira. Para cada três dias trabalhados é reduzido um dia da pena. Além disso, será pago um salário mínimo, o que corresponde R$ 1.100,00 pela prefeitura ao Fundo Rotativo da Penitenciária da Região de Curitibanos, por reeducando. Deste valor, 25% serão revertidas para o fundo das atividades socioeducativas da Administração Prisional.

Os registros acima feitos pelo Márcio Machado (Latino) mostram uma das equipes de reeducandos no trecho, trabalhando. Naturalmente não os identificamos nas fotos porque o objetivo é apenas ilustrar essa ação de socialização absolutamente pertinente desenvolvida em Lages

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *