Geral

Proibição de corridas de cães não passa

DEPUTADOS NÃO APENAS REJEITARAM O PROJETO DE MARCIUS CITARAM INCLUSIVE QUE “OS CÃES ATÉ SE DIVERTEM” NAS CORRIDAS

Ao votar contra o projeto de autoria de Marcius Machado que queria proibir a corrida de cachorros em território catarinense, o colega do parlamentar lageano de plenário, Jessé Lopes foi além, criticando o que chamou de ‘pautas dos ecochatos’. O deputado do PSL citou: “O que é que tem os cachorros correrem? Eles até se divertem (…). A tendência é daqui a pouco não poder comer mais churrasco.”

OUTROS CONTRÁRIOS

Foram 17 votos contra o projeto com três abstenções e outros três favoráveis. Segundo o informativo da Alesc, nem o autor do projeto estava presente à votação. Na justificativa da matéria, Marcius havia informado que a prática já foi proibida em outros estados, como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. “É um projeto que deixa muitos pontos em aberto”, considerou Bruno Souza (Novo). “Pode prejudicar atividades praticadas por clubes, que são insuspeitos, gostam dos animais, não estão ali para maltratar. Essa lei não irá aumentar a proteção dos cães e poderá trazer empecilhos”.

SC NÃO TERIA CORRIDA DE CÃES

Rodrigo Minotto (PDT) considerou que a corrida de cães não se configura como maltrato. “Daqui a pouco vai proibir corrida de cavalo (…). Acho que isso [a proibição] é até prejudicial, não contribui para a qualidade de vida do animal”, afirmou Minotto. O deputado Silvio Dreveck (PP), que se absteve, afirmou que não compreendeu o teor do projeto e pediu esclarecimentos ao autor, que não estava presente na hora da votação. “Parece que em Santa Catarina não temos essa prática [da corrida de cães]”.

Dreveck em primeiro plano disse que parece que no Estado não tem corrida de cachorros. Daí não tem necessidade de proibir. À direita a votação do projeto que não contou com o voto nem do autor da matéria

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *