Geral

Queimadas: 400% a mais de corte de luz

Em tempos onde o assunto sobre queimadas domina a pauta noticiosa a Celesc puxa dados e alerta sobre o tema especialmente na Serra Catarinense, onde a incidência da prática é maior. Gerente do Núcleo Planalto da Celesc, engenheiro Gladimir Jeremias, confirma que neste mês de agosto já foram 7.300 unidades consumidores que tiveram o fornecimento de energia interrompido por causa das queimadas na rede elétrica. “Um aumento de quase 400% em relação ao mesmo período do ano passado”.

SEGUNDO A CELESC

As queimadas irregulares podem provocar dois tipos de desligamentos forçados do sistema elétrico: os que duram pouco, conhecidos como piscas, e os de longa duração. E mesmo os desligamentos de poucos segundos prejudicam a linha de produção das indústrias. Pacientes em hospitais ou pessoas que sobrevivem com o uso, em casa, de equipamentos elétricos em tempo integral, escolas também são muito afetados.

Poste da rede elétrica rural no chão após uma incidência de queimada, cujas ocorrências de queda de energia aumentam 400% na Serra neste agosto em comparação com 2018

APONTE-SE QUE…

Embora criticada, a prática de queimada apresenta resultados satisfatórios ao pastoreio de gado. A brotação a partir de outubro e novembro é benéfica ao rebanho, além da queimada ajudar eliminar aquela vegetação imprópria à pastagem de campo nativo. Apenas se recomenda alguns cuidados para a prática, assim como recorrer ao órgão ambiental (IMA) para obter autorização. No caso do assunto acima, importante também a cautela para prevenir fogo e incêndio no posteamento da rede elétrica que vai prejudicar a instalação de energia na propriedade rural e nas localidades interioranas.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *