Geral

Razões da ausência da Azul em Lages

FATORES SERIAM DETERMINANTES AO RETORNO DOS VOOS EM LAGES

Pegando carona no post logo abaixo, a gente atualiza, a partir daquilo que colhemos de informações sobre as razões desse prolongamento da ausência da Azul Linhas Aéreas operando a partir de Lages. Fatores, não necessariamente apenas esses, são importantes à retomada dos voos:

ICMS SOBRE A QUEROSENE – Esse é apontado como principal fator da saída da Azul de operações em aeroportos pequenos em SC. Há estados com política tributária que incentiva as empresas. Quanto mais assentos forem utilizados em mais linhas regionais, menor o percentual do ICMS. O Rio Grande do Sul opera nessa linha de incentivo, inclusive prorrogando o decreto que reduz a incidência do imposto estadual sobre o combustível da aviação.

COMO ESTÁ EM SC? – Está ruim, mas a caminho de melhorar. Alesc aprova um pacote de normas antes do recesso. Nesse pacote está a redução de ICMS sobre a aviação regional. Deputado Cobalchini vai, inclusive, fazer defesa em plenário nesta terça-feira, 15, da necessidade dessa medida aprovada. Repercutirá na operacionalização de voos em cidades como Lages e até mesmo Caçador, terra de Cobalchini.

Incidência elevada de ICMS sobre a querosene torna a Azul menos competitiva, levando a empresa a evitar rotas como aquela até então mantida em Lages, apesar da boa procura pelo voo até Curitiba

INDIFERENÇA DO PODER PÚBLICO

O tratamento institucional com essas empresas é fator determinante para que elas ‘adotem’ a cidade. E relação, parceria, tudo isso soma. Mas a atual administração não mantém esse estreitamento com a Azul. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico que deveria fomentar, aproximar e estreitar essas relações não o faz. Para se ter ideia, se pegar o período de operação da Azul e o número de passagens que a Prefeitura de Lages utilizou para deslocamentos vai responder essa questão da indiferença como a companhia é tratada.

Compartilhe

2 comentários para: “Razões da ausência da Azul em Lages”

  1. Existe SDE em Lages? ICMS sobre a aviação regional, melhor pouco que nada!!! não há voo, não há ICMS.

  2. É triste porém comparado com a gestão Elizeu queira ou não este lutou com pés e mãos pela vinda do voo a Lages e conseguiu colocar em operação um aeroporto que todos davam como perdido já, fora as várias tentativas de outras gestões que trouxeram empresas menores e que não deram certo vide NHT. Sei que tudo é movido pela política e ainda temos a pandemia para nos ajudar mas a gestão atual em algum momento se mostrou efetiva na busca pela manutenção do voo assim como foi na anterior? Caso sim, por que sempre que precisavam utilizavam o aeroporto de Florianópolis? Não havia possibilidade de negociação de valores com a Azul para preços melhores e aproveitamento do voo aqui? E agora? Temos 2 aeroportos mas precisamos nos deslocar a Florianópolis para usar algo tão banal em outras cidades como uma linha aérea, deveríamos hoje estar falando de novas linhas, incrível que a menos de 3 anos atrás nessa mesma época estávamos tendo voos extras em sábados e agora de todas as cidades que tinham voos regulares antes da pandemia em nosso estado qual a única que nem sequer tem projeção disso? Me desculpem a sinceridade mas pra mim é um retrocesso total, uma vergonha no meu ponto de vista pra uma cidade que quer crescer…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *