Geral

Reinações na cachola dos vereadores

LAGES ENFRENTA UM DE SEUS PIORES MOMENTOS NA SAÚDE. E OS VEREADORES…

Não. A gente não vai entrar no mérito da encrenca que levou ao trancamento da pauta na sessão da Câmara de Vereadores de Lages na terça-feira, 16. Não dá para entrar no mérito porque nem o Judiciário entrou. Apenas, em caráter liminar, concedeu decisão em Mandado de Segurança impetrado pelos vereadores de oposição para a distribuição equitativa de vagas nas comissões do parlamento local.

INCLUSIVE

Como já escrito por aqui, o Magistrado que analisou o feito,  Juiz Rafael Steffen da Luz Pontes, titular da Vara da Fazenda Pública, deu uma bronca nos vereadores ao citar:

“No mais, este Juízo roga aos representantes municipais do povo lageano, no momento mais difícil já vivenciado durante a pandemia do Covid-19, onde vige duro, porém necessário decreto municipal, com uma série de restrições de atividades à população, busquem finalmente um consenso. A sociedade neste momento precisa de união de esforços, respeitadas logicamente as divergências políticas naturais da atividade parlamentar”.

E O QUE OCORREU?

Os vereadores ignoraram a orientação judicial de se buscar o consenso. De um lado se reclama que não houve a distribuição equitativa. Do outro a garantia que isso aconteceu. Enquanto isso, a cidade mergulhada numa pandemia que somente ontem tirou a vida de seis lageanos. Faltam leitos de UTI, comércio fechado e os vereadores brigando entre si. E uma discussão onde ninguém tem razão.

Uma briga insana onde ninguém tem razão e ambos os lados (oposição e situação) argumentam que estão certos

Compartilhe

1 comentário para: “Reinações na cachola dos vereadores”

  1. Já escrevi neste seu espaço Edson em outro post, que a atual legislatura é e será uma das piores que já tivemos e aí está a prova. Se em menos de 03 meses de atuação já estão deste jeito imagina o que virá pela frente. Se a própria dita “situação” não se entende dentro da câmara, imagina com a oposição reivindicando seus espaços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *