Geral

Rodovias da Serra entre as pedagiáveis

MODELO A SER ADOTADO NO ESTADO É IDÊNTICO ÀQUELE DO PARANÁ CONFORME ANTECIPOU O MINISTRO DA INFRAESTRUTURA NA AUDIÊNCIA DO SENADO

“O modelo ideal para evitar rotas de fuga, não onerando em demasia o custo do pedágio, é aquele híbrido que se instala com sucesso no Paraná. Tendo a parceria do governo catarinense, poderemos avançar nesse sentido”.

A declaração acima veio do Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas (esquerda), durante essa audiência no Senado que, entre outras questões, tratou da concessão de rodovias em Santa Catarina. Na oportunidade ficou claro que o modelo paranaense seria o ideal para as estradas catarinenses. Daquele 17 de agosto para o 10 de setembro, passaram-se três semanas e o encaminhamento da ideia da concessão híbrida (englobando trechos de rodovias estaduais e federais).

ENCAMINHAMENTO

A partir daquela provocação na metade de agosto, o Conselho do Programa de Parceria de Investimentos (CPPI) do Ministério da Infraestrutura apontou 3.154 quilômetros a serem englobados no pacote de concessões em SC. Das rodovias federais que interessa à Serra Catarinense, estão inclusos trechos da BR-282 e BR-470.

RODOVIAS DA SERRA

Além da BR-282 no trecho entre a Serra e o Litoral, consta da nossa região a SC-114 (Lages/Otacílio Costa/BR-470). Trata-se de um trecho emblemático porque a não concessão dessa rodovia estadual representaria rota de fuga em relação ao pedagiamento nas rodovias federais (282 ou 470). A SC-114 também abrange o trecho entre Lages e São Joaquim. A rodovia SC-370 (Painel/Urupema/Rio Rufini/Urubici/Serra do Corvo Branco/ Sul do Estado) também integra a lista das estradas estaduais pedagiáveis.

QUANDO ISSO?

O próximo passo é a elaboração dos estudos mais técnicos em relação a cada trecho. Esse trabalho é mais minucioso e deve se desenvolver durante os próximos 18 meses. Dentro de um cronograma regular, sem alteração da política de concessão, dentro de dois anos seriam lançados os editais de concessão para definir as empresas que iriam operar. Antes disso, considerando o pacote que englobará cada lote a ser concessionado, após esse estudo, será possível ter ideia de valores máximos a serem praticados.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *