Geral

Semasa: Encrenca pouca é bobagem

DEPOIS DE GESTORES SEREM PRESOS E CIDADE ENFRENTAR PANE NO ABASTECIMENTO, ADUTORA ROMPE NA CARAHÁ

Não tem sido um dezembro dos mais agradáveis para a Semasa, secretaria criada para substituir a Casan no processo de captação, tratamento e distribuição de água em Lages. Tudo começou com o estouro da operação mensageiro que, em linhas gerais, pelo nome, significa investigação daqueles que atuam como mensageiros em situações contrárias à lei. Houve prisão de dois gestores da referida secretaria e o nome da Semasa sangrou novamente, oito anos após o escândalo da operação Águas Limpas.

CRISE DE ABASTECIMENTO

Depois da presença no noticiário policial, o final de semana marcou os desencontros de informação devido à falta de água em vários pontos da cidade. O engenheiro Rafael Guedes Spindler (Semasa) foi o escalado para falar na Rádio Clube FM, culpando o consumo (e desperdício) pela pane. Logicamente que, ou se está mentindo agora ou se mentiu em agosto, visto que a informação de 90 dias atrás era de que a Semasa tratava água para atender uma população de 450.000 habitantes.

E não bastasse esse inferno astral institucional e operacional, nesta terça-feira, uma adutora rompeu lá perto do Fort Atacadista. Pelo jeito este mês é de complicação para a estrutura que vinha navegando em mares calmos em termos operacionais já fazia algum tempo.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *