Geral

Serra: Problemas no ensino do Estado

COORDENADOR RELATA PROBLEMAS ENCONTRADOS NA CRE. “NÂO TEM COMO MELHORAR NOSSOS ÍNDICES ASSIM”.

Bebedouro dentro do banheiro na escola estadual em Palmeira. A própria sede da CRE que parece estar em ruínas pela falta de manutenção. E o não planejamento ainda no ano passado para o transporte escolar que deixou muitos estudantes sem acesso às escolas entre fevereiro e março de 2023. Três dos vários problemas que o professor Armando Duarte relata ter recebido ao assumir a Coordenadoria Regional de Educação.

ASSIM

Duarte aponta que há situações que deveriam ter sido resolvidas e outras planejadas anteriormente porque as ações na área de ensino não são de um governo ou de um mandato, mas algo que não pode sofrer descontinuidade. “Deram férias aos profissionais em fevereiro, ao invés de janeiro. Exatamente na época que precisaríamos de todos aqui ajudando no planejamento e execução do início do ano letivo”.

GESTÃO DE 20 ANOS

Armando Duarte lamenta pela situação, chamando a atenção que os gestores que deixaram a Coordenadoria de Educação da Serra Catarinense, ‘cuidaram’ do setor por 20 anos. “Os 8 anos de Luiz Henrique, depois outros 8 anos de Colombo e mais 4 anos dos tempos de Moisés”. Segundo ele, um trabalho intenso tenta corrigir situações urgentes e planejar a médio prazo aquilo que não for possível resolver imediatamente. “Estamos fazendo tudo sintonizado com a Secretaria de Educação, para que em Florianópolis se visualize a realidade que estamos trabalhando para superar”.

EXEMPLO GRITANTE

A Escola de Educação Básica Antonieta da Silveira em Palmeira, unidade vinculada à CRE de Lages, passa por problemas estruturais que precisam de atenção urgente. Só um exemplo disso é o bebedouro dentro de um banheiro. Segundo Armando Duarte, ele dialogou com a prefeita Fernanda Córdova, que pede maior atenção. “Palmeira está entre os 10 municípios com o melhor ensino municipal do Estado. Daí o estudante deixa a rede municipal de excelência depois do quinto ano e precisa frequentar uma estrutura estadual sofrível. Precisamos corrigir isso. Estamos trabalhando nesse sentido”.

A Escola Estadual de Palmeira que precisa de investimentos inclusive para recepcionar estudantes que saem de um ensino de excelência na rede municipal

Armando Duarte, o Coordenador Regional de Educação: “Como vamos melhorar nossos índices no ensino se, enquanto gestores não fizermos nossa parte. É precisa apresentar estrutura adequada para buscar resultados”.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *