Geral

Sobre a falta de professores em Lages

SALÁRIO MELHOR NO ESTADO (R$ 5 MIL MENSAIS) E PELO MENOS 300 PROFESSORES AFASTADOS COM ATESTADO DE SAÚDE AGRAVAM O PROBLEMA

Recebemos o compartilhamento de uma mensagem oriunda da Secretaria da Educação de Lages que dá ideia do que está acontecendo, para repercutir na falta de professores nas salas de aula das unidades de ensino. O município está enfrentando dificuldades em dois flancos: Com professores efetivos e aqueles do processo seletivo (ACT).

300 AFASTADOS EM UM MÊS

De acordo com as informações, com o retorno das aulas em 9 de fevereiro, uma multidão de profissionais que deveriam estar em sala de aula, apresenta problemas de saúde. Professores que, por causa de alguma enfermidade, obteve prescrição médica de afastamento das atividades laborais. Os dados indicam a existência de 300 professores afastados com atestado médico. Nunca tanto professor ficou doente ao mesmo tempo e, por isso, fora da sala de aula. E para esses, não havia como fazer planejamento prévio de substituição em quantitativo tão elevado. É quase a metade dos 700 ACTs que são contratados para suprir a falta normal de professores efetivos.

OPÇÃO PELO ESTADO

“Muitas desistências de professores. Pegam as aulas no Estado e desistem de assinar o contrato como ACT no município”. A razão, nesse caso, é salarial. Governador Moisés anunciou que nenhum professor vai ganhar menos de R$ 5 mil por mês. Daí é difícil segurar professor na rede municipal. Até na iniciativa privada é difícil por causa dessa concorrência. “Na chamada 06 que fizemos, dos 109 professores que chamamos, um total de 84 desistiram antes de assinar o contrato para ir trabalhar no Estado”, aponta a mensagem sobre esse esvaziamento na rede municipal de ensino.

AINDA A RESPEITO

De acordo com as informações, no dia 15 de dezembro do ano passado, foi feita a primeira chamada para contratação de professores e o quadro foi fechado para iniciar o ano. A partir disso, começaram as desistências e, já no primeiro mês do ano letivo, essa multidão (300) se afasta por causa de problemas de saúde. “Já realizamos seis chamadas – do processo seletivo – e os quadros das unidades (de ensino) continuam sem professores”, aponta a informação sobre o assunto.

Município de Lages tenta regularizar o quadro de professores, mas enfrenta uma enxurrada de atestados de saúde (gerando afastamento de sala de aula) e a opção dos profissionais pela rede estadual devido ao salário melhor

Compartilhe

1 thought on “Sobre a falta de professores em Lages”

  1. Boa noite
    Há uma coisa Não comentada aí por parte da prefeitura, sim houve desistência por causa do salário do estado, mais eles não falam que já fizeram 2 chamadas desde o dia 15 de fevereiro e foi ocupada as vagas, porém o DRH não chama para assinar o contrato.
    Só falam que estão com problemas no sistema . Eu acho que é pra não pagar o salário e que vai começar a chamar depois de 15 de março daí paga só meio mês.
    Falo com certeza disso porque minha esposa pegou a vaga dia 15 de fevereiro e está aguardando o DRH chamar.
    Falta de vergonha isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *