Geral

STF nega recurso de João Rodrigues

Deputado Federal mais votado da eleição passada com mais de 221 mil votos, João Rodrigues cumpre pena em regime semi-aberto em Brasília. Diariamente ele deixa o presídio da Papuda para dar expediente na Câmara Federal. Entretanto, ele, correligionários e sua retaguarda jurídica tinham expectativa bastante positiva de que um recurso que entrou na pauta do STF nesta terça-feira, 07, iria mudar tal realidade. A crença era do reversão da condenação imposta por conta de um processo de 1999 quando João Rodrigues era vice-prefeito em Pinhalzinho.

DESDOBRAMENTO

A defesa do parlamentar entrou com um embargo de mérito no STF, recurso esse que teve o ministro Luiz Roberto Barroso como relatar. E tanto Barroso quanto Rosa Webber, Alexandre de Moraes e o Ministro Marco Aurélio, todos da primeira turma do STF, negaram o recurso. A defesa ainda vai avaliar outros passos na tentativa de reverter a situação, mas caminha para a impossibilidade de João Rodrigues concorrer à reeleição pelo conjunto de circunstâncias. Reiteradamente o deputado tem apontado que há até manifestação de um dos ministros do STF reconhecendo ausência de dolo naquilo que o MPF enquadrou João Rodrigues. Entretanto, a situação posta tira o campeão de votos do jogo político desta eleição.

João Rodrigues quando da fala na comissão de ética onde conseguiu evitar que seu mandato corresse risco de cassação

ATÉ QUANDO A PRISÃO?

Daqui 60 dias o deputado João Rodrigues cumpre o período de pena no regime semi-aberto e conquistará a chamada progressão de pena. Com isso, ele passará ao regime aberto quando então poderá inclusive retornar a Santa Catarina onde cumprirá o restante da condenação em circunstâncias diferentes daquela que enfrenta atualmente.

Compartilhe

1 comentário para: “STF nega recurso de João Rodrigues”

  1. Boa noite Edson.
    Corrigindo o amigo o deputado federal mais votado em 2014 foi Esperidião Amin com mais de 229mil votos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *