Geral

Tereza Ramos: Ampliação não ficou pronta

Exatamente no dia em que o governador Colombo renuncia ao cargo, a ADR de Lages dispara informação otimista por um lado, mas realista por outro. Trata-se da promessa relacionada a mais importante obra do Estado na Serra Catarinense: a conclusão da ampliação do hospital Tereza Ramos que era para entrar em funcionamento no final do ano passado e, depois, anunciou-se que isso ocorreria de forma gradativa (por alas) até o início de abril. Não aconteceu nem uma coisa e nem outra.

FALTA DEZ POR CENTO

Não se retire – em hipótese alguma – a importância e a necessidade dessa obra. O que não se sabe é o que acontecerá com ela com a saída de Colombo do governo: se haverá continuidade de forma satisfatória, se haverá contratação de pessoal e se a nova ala, de fato, começará a funcionar com brevidade. O investimento do Estado é de R$ 100 milhões (como dissemos, uma obra gigante e importante). Mas segundo a ADR, a ampliação “chega neste momento a 90%”.

EM QUE ESTÁGIO ESTÁ A OBRA?

O relato abaixo vem da própria ADR:

A construção do prédio já está pronta, inclusive com os elevadores, janelas, vidros e as instalações elétricas e hidrossanitárias (água e esgoto) e gases medicinais.  O sistema de climatização também está concluído. Funcionários trabalham na instalação de cabos, e na colocação do piso específico do centro cirúrgico, além da instalação de corrimões, e detalhes da pintura interna.

OUTRAS PENDÊNCIAS

O estacionamento, a urbanização e o paisagismo do pátio serão contemplados na última etapa da obra. Na sequência, serão instalados no primeiro andar os móveis, que foram adquiridos mediante licitação, e já chegaram. A passarela social já está concretada, faltando apenas a instalação das paredes laterais e a cobertura. A passarela de serviço deverá ser instalada na próxima semana.

A obra está bonita e rende bastante otimismo. Quando tudo estiver pronto e funcionando, será muito importante para o setor de saúde da Serra Catarinense. A incógnita é sobre a operacionalização da nova ala, visto que, se para construir, a obra custou R$ 100 milhões, esse é o custo anual para colocar essa estrutura em funcionamento, considerando profissionais e logística.

Fotos e parte das informações:

Cristiano Rigo Dalcin – ADR Lages

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *