Geral

Trânsito lageano: Ponderação do usuário

Cidadão perdeu alguns minutos do domingo para as ponderações abaixo que a gente compartilha:

“Quero nesta dia do Soldado contar uma fábula da Caserna. Diz que um comandante que havia sido transferido para outra Unidade, retornou a passeio a sua antiga Unidade quando reparou um sentinela ao lado de um banco. Perguntou para o atual Comandante porque aquele sentinela naquele local? Recebeu a seguinte reposta: – Não sei desde que cheguei já existia um soldado naquele posto. Pois bem, disse o antigo Comandante, pelo que me recordo o Soldado foi posto ali porque o banco acabava de ser pintado e era para ninguém sentar no mesmo, tão logo secasse a tinta não havia mais necessidade de referido posto de vigilância.

Digo isto, porque temos a necessidade de pensar porque as coisas estão ali, e não dizer que sempre foi assim. Verifica-se que há muita coragem e inteligência em algumas mudanças no trânsito da cidade de Lages. Digo “coragem” porque é preciso uma quebra de paradigmas tendo em vista que aumenta-se o número de veículos circulando e as ruas são as mesmas de sempre.

O melhor exemplo é a do Binário da Rua Frei Gabriel e da Rua Caetano Vieira da Costa, em que houve muita resistência por parte dos comerciantes e hoje verifica-se que foi uma decisão acertada. Coragem também para verificar que com esta mudança tornou-se desnecessária a sinaleira da Rua Frei Gabriel com a Avenida Belisário Ramos, onde antes formavam-se filas de carros aguardando (a demorada) abertura da sinaleira, hoje não temos veículos parados esperando e acredito que não se tenha registrado nenhum acidente.

Outra quebra de paradigmas foi a retirada da sinaleira da esquina do “Map Hotel”, que acredito nunca houve necessidade. Sem falar nas adequações na Avenida Papa João XXIII (descida do Bairro Petrópolis), na Avenida Camões (esquina do Supermercado Alvorada), na Rua Cirilo Vieira Ramos, na esquina do Colégio Industrial, entre outras.

Ainda existem uns “sentinelas ao lado do banco”, como um “quebra-molas” bem embaixo da sinaleira na Rua Lauro Muller ou na Rua Frei Rogério, que em frente ao Angeloni existem dois quebras-molas para que o motorista reduza em virtude da escola, só que existe um terceiro bem mais acima, que tinha necessidade quando os veículos desciam pela referida rua para não “chegar” próximo a escola em alta velocidade. O trânsito mudou, há muito tempo, e os veículos que agora só sobem na via tem que diminuir a velocidade devido a um “quebra-mola” sem nenhum objetivo.

Estou aguardando outras mudanças, como o binário da Rua Coronel Córdova com a Rua Cruz e Souza, pois na Rua Coronel Córdova depois de asfaltada, embora tenha ficado excelente o serviço, está gerando uma série de acidentes. Mas acredito que estamos no caminho certo, pois percebe-se que estas mudanças foram realmente acertadas pela própria fluidez e melhoria da trafegabilidade das vias”.

Aos que operam as mudanças no trânsito da paróquia, caso passem os olhos neste conteúdo, que o considerem uma mensagem de incentivo e motivação. Ainda mais para uma cidade cuja frota (veículos emplacados aqui) ultrapassa 113.000 veículos e precisa de alterações constantes para dar maior fluidez ao tráfego e ao trânsito.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *