Geral

Um apelo contra a impunidade

MENSAGEM CLAMA POR INFORMAÇÕES SOBRE INVESTIGAÇÃO DA MORTE DE CICLISTA ATROPELADO NA BR-116

“Se a lei não permite divulgar o nome do motorista, a gente respeita. Mas não aceitamos o silêncio da Polícia Civil sobre o episódio. A sociedade precisa saber se, através da placa do Renault Kwid, se chegou ao condutor que matou Adir. Que tipo de providência a Polícia está tomando para o caso? Apelamos por informação até para não dar impressão que alguém está sendo protegido”.

ENTÃO

A manifestação acima é um clamor para que a Polícia Civil, que é a responsável pela investigação do acidente que matou Adir Moisés dos Santos Conrado, 38 anos, informe o que vem fazendo. Tarefa que a gente repassa ao Delegado Regional, Fabiano Schmitt. Ele que inclusive já atuou em Correia Pinto, onde deve estar se desdobrando o inquérito. Não se trata de identificar e expor o causador da tragédia. Mas de dar conhecimento de que o assunto não ficará impune.

Porque o domingo foi assim, de dor e tristeza aos familiares e amigos do Adir Eletricista, morto de forma violenta ao ser atingido pelo Renault Kwid enquanto pedalava pelo acostamento da BR-116 em Correia Pinto, perto da praça de pedágio.

Antes da chuva de granizo da tarde de domingo, ciclistas pedalaram em direção à Catedral pedindo por segurança e justiça

A bicicleta branca e balões na frente da Catedral simbolizam que um inocente, uma vítima, deixou o convívio dos seus familiares e amigos devido à imprudência de um motorista cuja ação criminosa não deveria ficar sem resposta.

O que a Polícia está fazendo sobre o caso?

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *