Geral

Vem ao mundo o feijão preto Caviano

TRATA-SE DE UMA CULTIVAR INÉDITA DESENVOLVIDA NO CAV (UDESC LAGES) E QUE JÁ ESTÃO REGISTRADO NO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA

Anote esse nome: Feijão Preto Caviano. Essa é uma cultivar inédita desenvolvida totalmente por pesquisadores pesquisadores do Instituto de Melhoramento e Genética Molecular (Imegem) e começou a ser desenvolvido em 2007.

Foram usados métodos clássicos de melhoramento genético que resultou em uma cultivar com ampla adaptabilidade e boa produtividade. A cultivar foi totalmente desenvolvido pelos pesquisadores do CAV (campus da Udesc em Lages).

REGISTRO E TUDO MAIS

O Caviano já está registrado no Ministério da Agricultura e agora integra o RNC – Registro Nacional de Cultivares.

A equipe que conduziu as pesquisas é composta pelos professores Jefferson Meirelles Coimbra e Altamir Frederico Guidolin e pelos doutorandos em Produção Vegetal Rita Carolina de Melo e Paulo Henrique Cerutti. A iniciativa tem parceria da Epagri, cujos profissionais trabalharam juntos na condução de testes de avaliação de genótipo. “Desde 1996, conduzimos ensaios em conjunto e nunca tínhamos produzido uma cultivar. É a primeira vez que fazemos uso dessa parceria para esse fim”, comenta o professor Guidolin.

QUE FEIJÃO É ESSE?

O novo genótipo apresenta adaptabilidade ampla para as principais regiões produtoras de feijão em Santa Catarina. Os estudos apontam que o Caviano tem bom desempenho em condições adversas de cultivo, como sob escassez de água. Além disso, revela inserção do primeiro legume superior, diminuindo as perdas de grãos e otimizando o processo de colheita mecanizada.

Segundo o professor Jefferson Coimbra, é vantajoso para os produtores terem cultivares que são fruto de melhoramento genético: “As doenças surgem, a cada ano, com maior intensidade. O melhorista renova estes genótipos, com algumas características diferentes que oferecem cerca de cinco ou seis anos de resistência contra esses patógenos. Por esta razão, já se aumenta o potencial produtivo”.

VEM MAIS POR AÍ

“O Caviano não para por aqui”, revela Rita de Melo. De acordo com o grupo, um novo genótipo de feijão já está em desenvolvimento. “Já temos o que chamamos de linhagem de um novo genótipo, que ainda não está registrado”, conta o doutorando Paulo Henrique Cerutti. “Ele é fruto de um outro método clássico de melhoramento e está em avaliação preliminar para verificarmos se tem o mesmo desempenho”. Os resultados da pesquisa atual serão publicados em uma revista de melhoramento genético.

Informações e fotos Jornalista Tatiane Rosa Machado da Silva – Comunicação Udesc

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *