Obras

Desamarros no Complexo Ponte Grande

Quando o assunto se refere às obras do chamado Complexo Ponte Grande, pense menos numa avenida asfaltada margeando o rio do mesmo nome e mais nas ações de saneamento que compreendem o empreendimento. Daquelas obras que foram para o purgatório na troca de administração, o referido complexo tem uma sequência de trabalhos que exigem paciência e insistência. E um dos desafios neste segundo semestre é mostrar ações para que a Caixa renove o prazo de conclusão.

DESAPROPRIAÇÕES 

Não passa uma semana sem pelo menos três ou quatro editais de desapropriações de áreas, cujos imóveis foram levantados na linha do traçado da futura avenida. Nesta quinta-feira, 03, por exemplo, lá estão dois editais desapropriando imóveis para a passagem da rede coletora de esgoto e a obra da avenida.

DINHEIRO DO FINISA

Foram os R$ 5 milhões daquele empréstimo do Finisa que estão bancando o custeio da desapropriação. Sem tal recurso, provavelmente a obra não andaria porque essa atribuição cabe ao município e não é custeado pelos recursos da Caixa.

Esse registro fizemos na metade do ano de 2014. Cinco anos depois apontamos que não há evolução em relação à obra de pavimentação nas margens do rio Ponte Grande, para dar origem à avenida que na Câmara de Vereadores se deu o nome de Casemiro Colombo. O que houve foi um foco maior na parte de saneamento, realocações e desapropriações.

Observe nesse ponto os imóveis que dependiam – lá quando se iniciou a obra – de desapropriações. Na verdade a execução de terraplanagem em locais ‘pingados’ ao longo do trecho, sem a providência inicial de desapropriações (para liberar o traçado) foi como iniciar a construção de uma casa pela cobertura para pensar depois em como fazer as paredes. Daí que esses desamarros estão em andamento para corrigir a forma afobada que se iniciou o projeto.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *