Obras

Em seis meses um mercado revitalizado

Dá uma olhada no calendário:

27 de dezembro a 27 de junho.

São seis meses para que Lages volte a contar com um espaço que funcionará como lazer, entretenimento e entreposto de venda de produtos direto do meio rural ao consumidor. Trata-se do Mercado Público, cujo projeto de revitalização é bancado com recursos estaduais e terá uma nova dinâmica para atender o consumidor.

DIZ O GRINGO

“Queremos que o Mercado Público de Lages ofereça o que realmente represente a Serra Catarinense, e que o lageano se sinta em casa quando for visitar o local”. Essa pregação do prefeito Ceron acena para que o novo mercado tenha produtos absolutamente da região e seja explorado por comerciantes através de um sistema justo e previsto na legislação.

Uma ideia da fachada e futura entrada do Mercado Público a partir da revitalização que está em andamento

Essa parte da obra já está coberta e com paredes e 64% daquilo a ser feito já está resolvido

***

VISITE O PARQUE DAS ARAUCÁRIAS

Aproveite a visita de parentes e amigos neste final de ano e leve-os para conhecer a infraestrutura completa de um loteamento completo. Visite o Parque das Araucárias!

A infraestrutura está quase pronta com pavimentação asfáltica, iluminação pública e saneamento. Mais informações e opções aqui no portal da Terra Imóveis.

 Registro de Incorporação na matrícula 37597

Compartilhe

2 comentários para: “Em seis meses um mercado revitalizado”

  1. O MERCADO PUBLICO, O HOSPITAL TEREZA RAMOS É O AEROPORTO DA SULFUROSA, É UMA NOVELA QUE NÃO TEM FIM.

  2. Edson, creio que há uma desinformação na publicação. A primeira imagem, que retrata a fachada do projeto, não condiz com a realidade. Basta observar a imagem da obra em andamento que encontrará o erro. O projeto original, escolhido através de concurso a nível nacional, foi simplesmente rasgado e jogado no lixo. Previa-se essa cobertura incrível em domus de vidro que se vê na imagem, e a prefeitura a substituiu por um projeto genérico com uma cobertura de telha sanduíche, que mais parece uma rua coberta da Festa do Pinhão. E ainda sob a justificativa de que a intenção era de reduzir custos e amenizar possíveis questões relacionadas a temperatura. É de se duvidar que uma dupla de arquitetos iria participar de um concurso desse nível e cometer um erro de projeto a ponto de ser alterado tão grosseiramente. Tínhamos um projeto incrível e agora teremos um projeto genérico e sem identidade. E pra finalizar a prefeitura ainda declarou que a alteração foi solicitada aos arquitetos do projeto. Não me desce essa história! Além do mais, a obra era para ter sido entrege em maio/junho de 2019, portanto será entregue com 1 ano de atraso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *