Polícia

Gaeco ataca ‘Jogo do Bicho’ em Lages

Está em curso desde as primeiras horas da manhã deste 21 de maio a operação Quebrando a Banca, desencadeada pelo Gaeco aqui em Lages e em municípios como Ponte Alta, Joaçaba e Ibicaré. De acordo com a área de Comunicação Social do Ministério Público de Santa Catarina, estão sendo realizadas seis prisões temporárias – a totalidade já cumprida -, ainda 20 buscas e apreensões, além de sequestro de bens e bloqueio de contas bancárias.

QUATRO EM LAGES

De acordo com as informações dessa operação do Gaeco, quatro das seis prisões foram cumpridas em Lages. A investigação aponta que os delitos praticados vão além de contravenção penal (crimes de menor potencial ofensivo). Haveria lavagem de dinheiro e associação criminosa. Um policial civil já afastado das funções está entre os suspeitos.

APTO E CARRO IMPORTADO

Entre os materiais apreendidos e bens sequestrados estão um apartamento, uma banca de apostas, um veículo importado, máquinas de jogo do bicho, extratos dos jogos, blocos de anotações de apostas, cadernos de controle de contabilidade, dinheiro em espécie e recibos. A ação é coordenada pela 12.ª Promotoria de Justiça de Lages, ligada nessa ação ao Gaeco.

DIC TAMBÉM FEZ OPERAÇÃO

Na sexta-feira, 17, o delegado titular da DIC, Sérgio Roberto de Souza, apresentou o resultado da operação realizada no dia anterior, 16 de maio, para combater o jogo do bicho em Lages. Foram fechadas sete bancas de jogo do bicho, sendo que a maioria delas explorava o jogo em estabelecimentos comerciais localizados no Centro de Lages. Oito pessoas foram autuadas. Porém, como o enquadramento foi ‘apenas’ por contravenção penal, os detidos assinaram termos para responder ações em liberdade.

Este registro é da ação da DIC apreendendo mecanismos que confirmaram a prática de jogo do bicho em sete bancas em Lages

 

ATUALIZANDO

Apenas para informar e esclarecer, a partir de indagações a respeito, que o policial civil suspeito de participação nos delitos apurados pelo Gaeco não é de Lages. Trata-se de um integrante da PC, já afastado das funções, que atuava em Joaçaba.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *