Polícia

Juri em Lages: PM da reserva pagará multa

Há quatro anos um policial militar da reserva fora absolvido em juri na Comarca de Lages pela morte de um homem, crime ocorrido em 2008 durante uma discussão originada por perturbação de sossego (som alto). MP recorreu da absolvição ao TJ/SC. Novo julgamento ocorreu nesta terça-feira, 04. Dessa feita os jurados desclassificaram o delito para homicídio culposo (sem intenção de matar).

Juiz Geraldo Bastos conduziu os trabalhos do novo julgamento com o mesmo acusado em crime ocorrido faz 11 anos em Lages

ASSIM

Houve a condenação de um ano de detenção, pena substituída por prestação pecuniária, a partir do enquadramento feito pelo juiz Geraldo Corrêa Bastos, presidente do Tribunal do Juri. Promotor Fabrício Nunes atuou na acusação e coube às advogadas Roberta Fernandes e Janaína Maines a defesa, que sustentou a ausência de intenção de matar.

Advogadas Roberta Fernandes e Janaína Maines (direita) atuaram na defesa do acusado durante o primeiro juri de junho na Comarca de Lages

LEMBRANDO O CASO

O cidadão julgado atuou como policial militar por 30 anos. À época a vítima perturbava o sossego do acusado e demais moradores no bairro Ferrovia com som exorbitante. A PM atendeu a ocorrência por três vezes. Na manhã seguinte, a perturbação continuava, quando o réu foi até a residência e atirou, causando a morte do vizinho barulhento. A defesa sustentou que o PM da reserva só atirou para se defender, já que a vítima e outro homem tinham o intuito de agredi-lo.

***

MIRANTE DA BOA VISTA NOS ALTOS DO PETRÓPOLIS

EMPREENDIMENTO DA CONSTRUTORA TERRA COM

UNIDADES PARA RESERVAS E PRÉ-VENDAS 

Empreendimento está em fase de lançamento (registro de incorporação R3/39.142). Informações e pré-reservas no telefone (49) 99162 6278.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *