Polícia

Lageano ouvido na Operação Alcatraz

Juíza Federal Janaína Cassol concedeu mais duas semanas de prazo, atendendo a solicitação da Polícia Federal que trabalha em conjunto com técnicos da Receita Federal para apurar indícios de crimes naquela que foi denominada Operação Alcatraz. Assim, a PF tem até sexta-feira da semana que vem, dia 28 (ou no primeiro dia útil de julho) para concluir o inquérito.

RESPINGOS NA SERRA?

A Polícia Federal intimou um ex-diretor da SC Parcerias para prestar depoimento. O Executivo, cujo nome não foi revelado, pretendia ser ouvido em Lages, porém precisou se deslocar à sede da PF na Capital para prestar informações. Não se trata de envolvimento, em tese, em práticas irregulares. Mas a oitiva visa encaixar algumas peças no quebra-cabeças da operação, a partir de informações novas surgidas durante o andamento do inquérito.

DELAÇÃO A CAMINHO

Nelson Nappi Júnior, que era diretor de Tecnologia da Alesc até o estouro da Operação Alcatraz, negocia delação, cujo teor pode constar do inquérito. Aquilo que ele apontar deve ser acompanhado de comprovação. Mas como atuou como Adjunto da Secretaria de Estado da Administração, Nappi pode saber coisas suficientes para tirar o sono de quem atuou em alguns setores do governo passado.

Material apreendido na operação da PF e Receita de onde saíram alguns conteúdos que constarão do inquérito cujo prazo foi prorrogado até a virada do mês.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *