Política

2020: Faltando um ano para as convenções…

Além de Jair Júnior, citado nas costuras com o PRB no post anterior e do PT que tem vontade, mas não acena um nome, o cenário nesses tempos de um ano antes das convenções acenam na seguinte realidade.

Lucas Neves – Somou quase 20 mil votos na eleição de 2018 e possui um recall positivo para a disputa em 2020, já declarou que não concorre mais a vereador. Vai disputar na majoritária. Quer ser prefeito e tende a ir pelo Podemos. Ele costurará posicionamentos futuros, mas com forte tendência de não se coligar com PP (de onde pretende se desfiliar) e do PSD (da atual gestão).

Juliano Chiodelli – PSL não acena nomes de forma efetiva em Lages. Mas nos bastidores se fala em Juliano Chiodelli, que simbolizaria aquela ideia de novo e diferente dentro daquilo que a sigla pregou nos ‘sustos’ de 2018.

Antônio Ceron – Candidato natural e legítimo à reeleição. Acelerada nas ações nesse período de um ano que antecede a campanha pode ajudar a turbinar o projeto de mais quatro anos.

Dilmar Monarim – Nenhum outro filiado do PSDB acenou interesse de concorrer a prefeito em 2020, exceto o empresário. Se depender dele e do apoio da sigla, Monarim vai para o trecho no projeto de suceder Ceron.

Thiago Oliveira – Ouvinte informou na Hora da Corneta da Clube FM o nome de outro emedebista, Enio Ribeiro Filho, para a disputa majoritária. Mas se o critério for liderança com mandato, o nome é Thiago Oliveira que concorreu a deputado em 2028.

Nome de consenso entre a maioria daqueles que citam outros nomes quando é feito referência à Carmen Zanotto. Não é pré-candidata dela mesma, mas diante de pressões para a disputa, a parlamentar pode vir concorrer. Leitura é de que até 2021 as emendas que tem direito estariam carimbas por ela mesma. E em 2022 já é ano de eleição. Daí a possibilidade, bem explicada, de Carmen deixar o DF e vir concorrer em 2020.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *