Política

Colombo e mais 25 indiciados em CPI

Lembram da CPI do Pronto Socorro em Lages que o relatório final colocou um elenco de profissionais da saúde como possíveis cometedores de irregularidades? A CPI da Ponte Hercílio Luz na Capital percorreu o mesmo caminho em seu desfecho final.

QUAL DESFECHO?

Relator Bruno Souza indiciou 26 pessoas e 06 empresas por supostas participações e/ou omissões nas questões relacionadas às obras de revitalização. Entre essas, a mais ilustre é o ex-governador Raimundo Colombo.

VALORES EXTRAORDINÁRIOS

Na apresentação do relatório final, deputado Bruno Souza informou que o Estado contratou, ao menos, o equivalente a R$ 1.027.282.937,27 atualizados em contratos referentes às obras. Desse montante, um total de R$ 688.469.256,65 foram efetivamente comprometidos. O termo ‘comprometido’ não foi explicado.

PRÁTICAS IMPUTADAS 

O relator do CPI acusa o ex-governador de prevaricação, pelo retardamento da rescisão unilateral de contrato com o consórcio que tocava a obra. Isso teria causado dano ao erário. Deputado Bruno também enquadra Colombo em condescendência criminosa ao deixar de responsabilizar subordinados. E ainda consta do relatório que, caso esses delitos sejam considerados prescritos, que se aplique ‘possível ocorrência de improbidade administrativa’.

O QUE ACONTECE?

O relatório de Bruno Souza irá à votação na CPI na próxima terça-feira, 10. Em sendo aprovado o conteúdo, o mesmo será publicado em Diário Oficial e encaminhado para o Ministério Público. Lá os Promotores de Justiça analisarão se há fundamento naquilo denunciado. Em havendo instaura procedimento. Do contrário, ignora.

Deputado Bruno Souza incluiu 26 pessoas como indiciados no relatório final da CPI da Ponte Hercílio Luz, incluindo o ex-governador Colombo, três ex-presidentes do Deinfra, empresários e servidores públicos

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *