Política

Colombo proseia na Rádio Clube FM

EX-GOVERNADOR FALOU COM DANIEL GOULART

Colombo fez ponderações sobre a realidade do modelo de Estado e da política, que segundo ele estão ultrapassados. “Estão podres”. Também apresentou informações discordando da forma como o atual governo catarinense tratou as medidas de prevenção à pandemia.

DISSE COLOMBO

“Antes da suspensão das atividades econômicas era preciso criar um modelo que não afetasse aqueles municípios que não tiveram e não têm casos da doença. Era necessário priorizar de forma extrema o ser humano protegendo a saúde das pessoas, mas não se descuidar da economia”. Colombo cita um protocolo na Defesa Civil, elaborado nos tempos de seu governo, que é um catecismo para casos imprevistos, inclusive pandemia.

DESEMPREGO EM SC

Colombo informou que “ontem (12) saíram os números do IBGE. Quinhentas e vinte mil pessoas desempregadas”. Na verdade não são dados do IBGE. Há uma pesquisa do Sebrae, Fecomércio e Fiesc que fala em 530.000 demissões. Citou que em seu governo os índices de desemprego oscilaram entre 2,7% e 5,6%. De fato, no primeiro ano de governo o percentual era de apenas 3%. Índice excelente. No primeiro trimestre de 2017 chegou a 7,9%. Mas mesmo assim os índices eram excelentes da empregabilidade no Estado, como continuaram sendo ano passado.

Esses dados são oficiais do IBGE e apontaram que de outubro a dezembro do ano passado o índice de desemprego no Estado era de apenas 5,3%. Não fosse a pandemia se metendo a besta teríamos a manutenção de bons índices.

CHATEADO COM CRÍTICAS

Apesar do estilo conciliador, o ex-governador não esconde a mágoa quando se refere ao que ele mesmo fala em 5% da população de Lages. O próprio Colombo entra no assunto da estrada asfaltada para a Coxilha Rica. “Alguns safados dizem: ‘aquele é o hotel do Colombo’. Até gostaria que fosse. Mas conversei duas vezes com o dono. É pura maldade”.

AINDA SOBRE A COXILHA

Durante a entrevista na Clube FM a Daniel Goulart, Colombo não cita nomes, mas se refere ao vídeo produzido durante a campanha ao Senado que o atual senador Jorginho Mello fez veicular na TV e redes sociais. “Um candidato que concorreu contra mim com apoio de líderes políticos aqui da cidade propagaram que a estrada era para me beneficiar”.

QUAIS LÍDERES DAQUI?

Comentou-se nos bastidores quando da campanha, e pela fala o ex-governador ainda guarda a mágoa disso, de que as filmagens para o vídeo de Jorginho Mello sobre a Coxilha Rica teriam sido feitas ou fornecidas pela equipe da deputada Carmen Zanotto. Por isso Colombo se refere a “líderes políticos aqui da cidade”.

SE PUDESSE, O QUE FARIA?

Daniel Goulart indagou o que gostaria de ter feito, caso pudesse voltar no tempo. “Se conseguisse ter terminado o hospital teria sido a grande coisa. Infelizmente uma série de razões burocráticas impediram a conclusão (..)”.

AINDA SOBRE O HOSPITAL

“Nunca vi uma cidade torcendo contra um hospital. Você apanha por ser lageano porque fez (iniciou a obra). E o cara (Moisés) que tira os equipamentos daqui, que fez essa lambança na saúde é bem quisto”.

Colombo em registro do ano passado e as manifestações sobre ações quando governador para Lages

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *