Política

Coligação condenada por litigância de má fé

MULTA DE R$ 2 MIL POR MESMA AÇÃO EM DUAS ZONAS

Aldori Wolff, o Pelezinho do Gethal, cuja uma de suas bandeiras (passarelas de pedestres na BR-282) está sendo possível a partir da intervenção da deputada Carmen Zanotto, protagoniza episódio que reflete barbeiragem jurídica da retaguarda da candidata do Cidadania. Embora não tenhamos localizado, Pelezinho teria inserido em suas redes sociais conteúdo desfavorável à Carmen Zanotto.

OCORRE QUE…

Para ver excluído das redes o conteúdo postado por Pelezinho, a assessoria jurídica de Carmen Zanotto acabou exagerando nas batidas à porta do Judiciário Eleitoral. A mesma representação contra Pelezinho foi protocolada no juízo da 21.ª e da 104.ª Eleitoral. E fazer o mesmo pedido para juízos diferentes, sobre situação idêntica caracteriza litigância de má fé.

E…

Por conta disso o Juiz Eleitoral Ricardo Fiúza, evidenciando que o Judiciário está atento, combatendo manobras questionáveis, como essa, condenou Carmen e a coligação que ela lidera a uma multinha básica de R$ 2 mil por litigância de má fé. Acredito que o feito até tenha desdobramento favorável a ela no juízo da 104.ª zona. Mas pedir a mesma coisa nas duas esferas não pode. Daí o puxão de orelha em forma de multa.

Despachos como esse primeiro que a gente teve conhecimento na eleição deste ano, demonstram a postura de magistrados como Juiz Ricardo Fiúza evidenciando que a Justiça Eleitoral estrá atenta ao comportamento de candidatos e coligações, a partir da provocação do Ministério Público Eleitoral, partidos, coligações e candidatos e as análises terão a celeridade que os prazos eleitorais exigem.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *