Política

Federal: De olho no espólio dos mais votados

Eleição deste ano aponta uma nova realidade para disputa à Câmara Federal. Os quatro deputados federais mais votados, faltando seis meses e meio para a eleição, não têm em mente disputar a reeleição. Observe a realidade:

Esperidião Amin (PP) – Mais votado em 2014 com 229.668 votos é pré-candidato a governador pelo PP. Além desse foco ao governo, ele pode ainda concorrer ao Senado numa composição.

João Rodrigues (PSD) – O segundo mais votado na eleição passada com 221.409 votos está preso e como a condenação foi confirmada em turma colegiada, isso o afasta da disputa por causa da ficha limpa.

Mauro Mariani (MDB) – Foi o terceiro que mais conseguiu votos para Federal. Foram 195.942 votos obtidos. É o nome do MDB ao Governo do Estado desde o princípio. Mesmo que não saia na majoritária, não deve vir à reeleição.

Jorginho Melo (PR) – Quarto mais votado a Federal, o deputado do PR obteve 140.839 votos. Ainda nesta semana reforçou a lideranças do PR lageano que é pré-candidato ao governador de Santa Catarina. Pode lhe sobrar uma vaga de vice ou ao Senado.

PORTANTO

Esses quatro somados que, em tese, estão fora da disputa a Federal contabilizaram 787.858 votos. E para onde vão tantos votos para a Câmara Federal? Tem vários pré-candidatos de olho desse espólio.

EXEMPLO

Um desses prés-candidatos é o empresário Ericsson Luef. O dono da gigante Hemmer Alimentos foca a disputa deste ano e, na condição de pré-candidato adotou uma estratégia bem interessante de esparramar o projeto pelo Estado. Ele já visitou quase todos os municípios, amarrando parcerias para quando a campanha começar.

Temos acompanhado o trabalho de Ericsson Luef e a assessoria do empresário compartilha a ilustração acima confirmando a estratégia de estender o projeto pelo Estado

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *