Política

MDB: ‘Pra que ficar juntando pedacinhos…’

OUVIMOS O SEGUINTE

‘Se o Elizeu pudesse concorrer – e talvez ainda possa – quem duvida que até ele deixasse o MDB. Talvez não porque é emedebista raiz. Mas o partido não oferece perspectiva estrutural de disputa em Lages’.

CONTEXTO DISSO

Há um choramingo pelego por conta da hipótese aventada – mas não definida e nem definitiva – daquele que concorreu a Deputado Estadual pelo MDB, vereador Thiago de Oliveira – não prolongar a estada na sigla. Daqueles posicionáveis para um projeto majoritário em Lages, fora o referido vereador, dá para contar nos dedos de uma mão – e olha lá. A frase acima de um pelego de marca maior, exterioriza certo desânimo com a sigla que administrou a cidade até um tresontonte desses.

EM PEDACINHOS

O MDB segue sendo a sigla de militância mais intensa, atuante. Entretanto, suas lideranças em âmbito local precisariam estar mais unidades. Há divisões e isso esfacela a sigla. Também não se trabalha para fortalecer novas lideranças, permanecendo uma elizeudependência. É a dependência por alguém de quem não pode se depender.

ASSIM

Thiago de Oliveira experimentou dessa divisão, com gente do MDB buscando votos para vários candidatos ano passado, sem um grude geral – que deveria ter ocorrido – em torno de seu nome. Aliás, cabos eleitorais que quebraram a cara porque seus candidatos deram com os burros n’água. Logo, caso Thiaguinho se desfilie, não é ele que está deixando o MDB, mas a sigla que o deixou lá na disputa de 2018.

Thiago de Oliveira sabe que pode ir além desse sufocamento que o MDB impõe, com divisões de toda ordem. Nem parece que é a sigla com a melhor militância para se trabalhar numa campanha eleitoral. Daí a hipótese não descartada, dele migrar para outro partido, menos partido!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *