Política

Pesquisa ‘mede febre’ do eleitor lageano

SÃO CONSULTAS PARA CONSUMO INTERNO 

Em tempo de pandemia, falar sobre ‘medir febre’ já remete a uma preocupação maior. Mas é isso que um ou outro instituto de pesquisa segue fazendo em Lages. São levantamentos abordando eleitores sobre diversos cenários e situações e, ao final, indagando em quem se votaria se a eleição fosse hoje, embora estejamos a pouco menos de 90 dias para a votação.

DADOS PARA CONSUMO

A gente insiste muito na questão de que esses levantamentos se prestam apenas ao consumo interno de quem encomenda a pesquisa. Nada de divulgação de dados, índices e nem nomes. É que para divulgar pesquisa é preciso que haja toda uma sequência de requisitos a serem atendidos, como o registro na Justiça Eleitoral, quem está pagando pelo levantamento, a margem de erro, quantidade de entrevistados e outros dados.

SIGNIFICA ENTÃO QUE…

Tem pré-candidato e sigla partidária que já possuem ideia daquilo que está na cabeça do eleitor nesse período de pré-definição. E esses dados irão nortear coligações, recolhimento deste ou daquele candidato e insistência de outros de que podem chegar lá.

Esse registro Nilton Wolff fez na manhã de terça-feira durante a abordagem de uma pesquisadora sobre a intenção de votos dos lageanos. A imagem confirma que esse tipo de levantamento tem sido feito, inclusive atendendo todos os protocolos em relação à Covid-19

EM TEMPO

Divulgar pesquisa sem preencher requisitos legais expõe o divulgante ao pagamento de uma multa variável entre R$ 52.000,00 e R$ 104.000,00. Não vale a pena correr o risco, até porque divulgar levantamentos sem atender as especificidades pode ajudar alguns e prejudicar outros, causando a desigualdade na disputa. Algo que a Justiça Eleitoral coíbe.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *