Política Serra SC

Otacílio Costa: Sessão às pressas polemiza

Como se fosse possível isso acontecer, Otacílio Costa conseguiu colocar outro assunto para ser debatido de forma mais acalorada que o novo coronavírus. De repente as redes sociais no município se viram incendiadas com o debate sobre uma sessão às pressas que o presidente da Câmara, Renildo de Souza (Cidadania) chamou para a quarta-feira, 25.

FIM DA QUARENTENA

Recebemos ainda na segunda-feira, 23, o teor do projeto enviado pelo Executivo que está retirando os vereadores da quarentena e por isso – mas não só por isso – está rendendo discussões das mais diversas.

‘SESSÃO EXTRAORDINÁRIA’

Na verdade a sessão programada para a quarta-feira, 25, não é extraordinária, visto que essas somente acontecem fora do período de trabalho do legislativo. É uma sessão, digamos, às pressas, em dia alterado em relação ao cotidiano, já que os trabalhos na Câmara são às segundas-feiras.

ROMPENDO A QUARENTENA

Nesse ponto existe certa polêmica, visto que há recomendação de resguardo, especialmente à população de risco. E em relação a Otacílio Costa, há vereadores, Edson Pasold, Luiz Barbosa, Luiz do Sindicato, para citar três exemplos, onde problemas de saúde ou a idade são recomendadores que não se misturem nesses tempos de recolhimento. Daí uma junção em ambiente fechado é deveras preocupante. A alternativa seria trabalho virtual ou uma sessão aberta lá na praça (algo incogitável, naturalmente).

APELO DE VEREADORES

Houve apelo ao presidente Renildo de Souza. “Estamos indo contra um decreto estadual. Estamos em meio a um surto de coronavírus onde todas as recomendações vão contra aquilo que se pretende fazer (reunião)”. É o que apela um dos vereadores para que não haja a sessão. “Há algum projeto relevante que suplante as recomendações que aí estão?” Indaga-se um dos vereadores tentando demover do presidente da Câmara a ideia da sessão para esta quarta-feira, 25.

TEOR DOS PROJETOS

Nesse ponto reside outra polêmica porque se trata de reposição salarial para algumas categorias. E ao invés de percentual de reposição, o projeto prevê valores redondos. Para alguns R$ 400,00 a mais. Para outros R$ 500,00 de acréscimo nos vencimentos. Há uma crença dos vereadores de oposição de que essa providência é politiqueira. Cerca de 40 servidores seriam beneficiados.

CONTRAPONTO AO PONTO

Ouvimos o prefeito em exercício, responsável pelo reboliço, porque vem dele os projetos e a necessidade de sessão. Reginaldo Gomes, o Pindaco, explica que há um prazo limitador para concessão de reposição a essas categorias devido ao ano eleitoral. “Um pedreiro ganha R$ 1.100,00. Queremos autorização legislativa para colocar mais R$ 400,00 nos vencimentos. Não acredito que alguém seria contra isso”. Pindaco lembra que esse projeto não é coisa de agora.

DIZ MAIS PINDACO

“Não trabalhávamos com a hipótese de convivermos com o coronavírus. Mas essa reposição já estava em nosso planejamento. Assim como foi dado o aumento aos professores na ordem de 12% aprovados na Câmara e outras categorias, esses profissionais contemplados agora terão essa atualização de salários”.

PRAZO ELEITORAL

Segundo o prefeito em exercício de Otacílio Costa, depois de 4 de abril não é possível mais essa providência. Daí a necessidade da sessão.

E O CORONAVÍRUS?

Ainda de acordo com Pindaco, a pauta da sessão da quarta-feira a ser apreciada na Câmara está sendo construída. “Tomamos a maioria das medidas (sobre o Covid-19) por decreto, porque a situação permite as providências dessa forma. Mas estamos formatando providências relacionadas a essa pandemia que podem depender de autorização legislativa. Nesse caso, vamos recorrer aos vereadores também”.

Registro de arquivo de uma sessão em Otacílio Costa ano passado. A polêmica reside no fato dos vereadores terem que fazer sessão nesta quarta-feira, 25, em épocas de quarentena e ainda no teor dos projetos a serem analisados

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *