Política

Tchau PSL: Lageano na criação da Aliança

Aírton Amaral, suplente de deputado Federal não é mais PSL. Ele que exercia uma espécie de ‘porta voz sem cargo’ do governo de Carlos Moisés em Lages, não frequentará mais as mesmas fileiras partidárias do Comandante Catarinense. Enquanto o governador segue no PSL, Aírton Amaral agora é da Aliança Pelo Brasil.

TESTEMUNHA IN LOCO

O lageano esteve em um hotel na Capital Federal onde participou da vinda ao mundo da nova sigla do Presidente Bolsonaro.

Ainda carece de assinaturas para oficializar o surgimento da Aliança Pelo Brasil, mas o ato desta quinta-feira, 21, acenou no sentido de que a nova sigla é um caminho sem volta. E Bolsonaro resumiu no discurso a razão de ter deixado o PSL:

“Em parte, o problema que tivemos no partido que deixei há poucas horas foi essa questão: negociar legenda, vender tempo de televisão e fazer do partido um negócio”.

TEM ALIANÇA EM 2020?

Há suspense em relação à decisão do TSE sobre se aceita ou não assinatura eletrônica – via internet – para a coletar 491.967 assinaturas que permitiriam a criação da sigla, conforme a legislação. Caso não seja possível, a Aliança Pelo Brasil não deve participar, como partido do processo eleitoral de 2020.

Aírton Amaral com o primeiro vice-presidente do Aliança Pelo Brasil, Senador Flávio Bolsonaro

Aírton com a vice governadora Daniela que já decidiu: Deixa o PSL e aposta na nova sigla com Bolsonaro

Três dos quatro federais eleitos pelo PSL em santa Catarina estão optando por ficar com Bolsonaro na nova sigla, como a deputada Caroline De Toni

Outra adesão à Aliança Pelo Brasil vem da bancada estadual do PSL. Ana Carolina Campagnolo vai deixar o PSL para aderir à nova sigla. No registro ela com Aírton na chegada para o lançamento da Aliança Pelo Brasil

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *