Serra SC

Ponte Alta: Um crime bárbaro na Serra

Foi necessário recorrer ao banco de dados do IGP e identificar através de digitais o nome de Soli Pedro Moraes. Ele tinha 71 anos, residia em Ponte Alta, onde possuía estabelecimento comercial. Desde a segunda-feira, 09, os familiares não tiveram mais notícias de Soli. Seu corpo foi encontrado por um pescador nas águas do Rio Canoas na divisa de Correia Pinto com Ponte Alta.

CRUELDADE

De acordo com as informações, o idoso estava com um saco plástico na cabeça. Uma lona fora utilizada para amarrar o corpo, que fora preso ainda a uma corrente com cadeado. Sem qualquer sinal de espancamento ou perfuração por disparo de arma de fogo, os técnicos do IGP apontam como possível causa morte asfixia.

DA FAMÍLIA

Quem esteve no IGP na tarde da terça-feira, 17, fazendo os procedimentos para a liberação do corpo de Soli Pedro Moraes foi seu sobrinho, o ex-vereador e advogado que também atua no setor de agronegócio Arnaldo Moraes. Soli era irmão de Ari Moraes, falecido recentemente.

INVESTIGAÇÃO

O episódio causa consternação tanto pela morte como pela forma que ocorreu. Cabe agora à polícia judiciária, provavelmente com ajuda da equipe da DIC de Lages tentar chegar à autoria daquele (ou daqueles) que deu causa a tal assassinato com tamanha brutalidade.

Soli Moraes, 71 anos, cujo corpo foi encontrado boiando nas águas do Rio Canoas, amarrado e acorrentado. O registro acima é da cobertura sobre o assunto feita pelo Jornal O Momento

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *