Serra SC

Saída de Hassler é ruim para a Serra

Tornou-se insustentável a presença do coronel da reserva do Exército, Carlos Hassler, na equipe de Carlos Moisés. A gota d’água foi a expulsão do pelego Cobalchini de uma audiência nesta semana. O ato, interpretado como deselegante e desrespeitoso, pelos pares da Assembleia Legislativa rendeu nota de repúdio.

E…

Após o ocorrido na terça-feira, não durou 48 horas a permanência de Hassler na função. Ele já vinha de desgastes anteriores devido ao estilo enérgico, literalmente militar, que imprimia na atuação. A pressão política foi mais forte, inclusive porque o governador depende do MDB para não cair em algumas situações embaraçosas na Alesc.

REFLEXO PARA A SERRA

A saída de Carlos Hassler da Infraestrutura e Mobilidade é ruim para a Serra Catarinense porque as duas maiores demandas da área, praticamente voltarão à estaca zero. Trata-se do projeto para asfaltar a SC-370 entre o Rufino e Urubici, além da obra de asfaltamento (já com projeto, licitação e início dos trabalhos) de Anita Garibaldi a Celso Ramos.

Como mostramos aqui, Hassler chegou a visitar a estrada de Anita a Celso. E para ninguém dizer que ele não dialogava com os prefeitos, lá estava com Lucimar Salmória (Abdon Batista), Milena Lopes (Vargem), João Cidinei (Anita) e Ondino Medeiros (Celso Ramos). Por ironia, no registro está Juarez Matos, que é assessor parlamentar de Cobanchini.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *