Serra SC

Desafetado trecho entre São Joaquim e RS

Está longe, longe, longe daquela ideia de termos uma rota Caminhos da Neve toda asfaltada, interligando a BR-282 à BR-285 ali nos campos de cima da Serra Gaúcha. Porém, mais um passo necessário nesse sentido foi dado. Com relatoria do deputado Marcius Machado (PL) foi aprovada na Assembleia Legislativa a desafetação de um trecho catarinense de 19 km.

O QUE ISSO SIGNIFICA?

Ocorreu a federalização da rodovia estadual desde Bom Retiro, passando por Urubici, São Joaquim e indo até Bom Jesus/RS. Mas era preciso que o patrimônio do Estado fosse cedido à União, com autorização legislativa. E essa providência que estava pendente recebeu o de acordo dos parlamentar. Agora o trecho referido não é mais do Estado.

SOBRE O ASSUNTO

Assessoria do deputado Marcius Machado informa:

“A expectativa, após a sanção do governador, é pavimentação dos 11 quilômetros já doados para a União pelo município. Agora o Projeto de Lei será encaminhado ao governador, Carlos Moisés depois, vai ao Ministério dos Transportes; e por fim, será encaminhado ao DNIT que incluirá no Sistema Nacional de Viação”.

Marcius atendeu solicitação de lideranças da Serra Catarinense e cuidou da relatoria do projeto que garante mais esse passo para, num futuro não muito próximo, termos a chamada rota Caminhos da Neve toda asfaltada

É COISA PARA MEIO LOGO?

Carece de não criar muita expectativa sobre o asfaltamento da rota Caminhos da Neve. O trecho catarinense, ali perto do Rio Pelotas, até que é curto – pouco mais de 10 km. O problema está no lado gaúcho que não tem projeto e nem perspectiva de asfaltamento. Do trecho desde São Joaquim até Bom Jesus, há apenas 16.500 metros asfaltados (pelo 1.º Batalhão Ferroviário). Além desses 16,5 km é só pirambeira e ainda uma ponte complicada na travessia do Pelotas.

Quando for elaborado o projeto de asfaltamento da rota Caminhos da Neve, terá que incluir a previsão de implantação de uma ponte na travessia do rio Pelotas. A atual, ponte das Goiabeiras, está numa situação absolutamente precária

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *