Eleições 2018

Marin e as feridas do que chama de ‘trapaça’

“Nesta vida a gente comemora até as trapaças! ‘O tempo se encarrega’”.

A frase encharcada de mágoas é do presidente da Câmara de Vereadores de Lages, Luiz Marin, desabafando na rede social depois das labaredas do fogo amigo que o chamuscaram na convenção do PP. Marin desceu a Serra como candidato a Federal e retornou desembarcado desse projeto, visto que a vaga foi reservada ao vice-prefeito Juliano Polese.

E ASSIM

Nos bastidores, Polese só não é chamado de moleque para não fazer concorrência com o desafeto do vice, vereador Jair Júnior. “É um trairão. Traíra de primeira grandeza”. Uma das reações ouvidas. Luiz Marin não se conforma com a rasteira. Embora haja bolsa de apostas sobre o desempenho do vice a Federal, ele é o nome à disputa que não teve contar com o voto de Marin. Polese precisa concorrer e mostrar que ele é liso, tipo lambari, mas não é traíra.

Quem vê a harmonia aparente no PP paroquiano durante a convenção não imagina as palavras de baixo calão ouvidas para se referir a Polese.

Compartilhe

1 comentário para: “Marin e as feridas do que chama de ‘trapaça’”

  1. Marim parece um inocente, na política não se tem amigos, só adversários, mesmo no partido a que se pertence, vale a conveniência e a oportunidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *