Eleições 2018

Merísio, Kleinubing, Amin e Colombo e os 11

Pré-candidato a governador pelo PSD, deputado Merísio pode aglutinar pelo menos onze siglas no seu entorno, numa coligação ampla e de visibilidade forte para a disputa contra o MDB e alinhados, além de PSDB e o PT de Décio Lima.

FORMATAÇÃO

Posicionando-se de que não recua na ideia de concorrer ao Governo, Merísio intensifica o diálogo com PP e DEM. Ideia é ter o deputado democrata João Paulo Kleinubing como candidato a vice governador. Esperidião Amin e Colombo seriam os nomes ao Senado. Já o PSB colocaria suplentes à Câmara Alta, embora Paulo Bornhausen possa vir à Câmara Federal. Nesse sentido o deputado Merísio dialogou com Kleinubing e Amin. Houve um avanço na prosa, mas sem batida de martelo, ainda.

Registro é do pré-lançamento de Amin em Criciúma, onde estava Merísio. O deputado federal mais votado de 2014 pode ir ao Senado. Mas não é nada oficial ainda. E como o cenário é turbulento, pode até nem se concretizar, mas há costuras nesse sentido!

OS ESCALADOS COM MERÍSIO

Com a eventual adesão de PP e DEM numa composição ampla, ideia do pré-candidato do PSD é fechar uma coligação de pelo menos 15 siglas. Aglutinariam-se nessa linha, partidos como PSB (o primeiro a aderir), PDT, PODEMOS, PRB, PSC, SD e PROS. PC do B deve estar alinhado e há outras siglas sendo costuradas.

O QUE SIGNIFICARIA ESSA AGLUTINAÇÃO?

A formatação de uma coligação reunindo Merísio, Kleinubing, Amin e Colombo numa majoritária, exigiria uma resposta a altura tanto do PSDB quanto do MDB. E nesse sentido, a aproximação de ambos com Bauer e Mariani, seria uma tendência. Muito embora o pré-candidato ao governo tucano tenha índices em pesquisas para consumo bem superior a Mariani, o MDB não acena hipótese de liberar a cabeça de chapa a Bauer.

MDB já acenou que quer a cabeça de chapa, mas lidera a vaga de vice e uma do Senado ao PSDB. Com isso, Napoleão Bernardes pode ser vice de Mariani, Bauer ir à reeleição e a outra vaga ao Senado para o PR de Jorginho Mello. Isso, naturalmente, é prospecção já que o PSDB aposta no projeto de Bauer ao Governo.

REPERCUSSÃO NA SERRA

Com o eventual desdobramento desse agrupamento com Merísio, Kleinubing, Amin e Colombo juntos, o MDB reforçaria o assédio para ter PR, PPS e, naturalmente o PSDB. Como a deputada Carmen Zanotto buscará a reeleição, numa coligação proporcional, mas sem querer o MDB junto, haveria tendência de reeditar uma parceria de PPS + PSDB + PR numa coligação a Federal. Encaminhamento que viabilizaria o projeto de reeleição da lageana à Câmara.

A costura eventual acima, retiraria Carmen Zanotto de uma coligação proporcional com o PP de Amin (isso ocorreu em 2014), colocando a lageana numa coligação de oposição com MDB, PSDB, PPS, PR e agregados.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *